quarta-feira, 25 de julho de 2012

LIVRO ABERTO

LIVRO ABERTO 
Não sou mais que o livro aberto
da memória
e em que o tempo anotou
os dados da minha vida,
e com eles articulou
uma história
— a história daquilo que sou
e como cheguei até aqui,
as experiências que vivi,
aquilo por que passei,
os muitos lugares que vi,
e as pessoas que amei... 
Não contém só o passado,
o meu livro,
mas o presente também,
e conceitos alargados,
bem precisos,
bem maduros,
que me servem para equacionar
alguns projetos de vida
e saber o que fazer
com os meus dias futuros. 
A memória é o meu mundo
em que posso mergulhar
mais à tona,
ou lá no fundo,
e tentar descortinar
situações e episódios
que eu próprio desconheço,
vividos por uma pessoa
com a qual me não pareço. 
Com tais cenas me admiro
e me interrogo:
— Como é que foi possível
que aquilo acontecesse?
Foi como se outro viesse
e tomasse o meu lugar
na história,
e fosse eu que aparecesse
com auréola de glória!
Sim, um resplendor bem brilhante
para me fazer esquecer
e ultrapassar,
em cada instante,
coisas que devem constar
das páginas sujas da memória,
que as há
e que eu disfarço bem,
e que não desejo mostrar
a ninguém!

Miguel Leitão

Sem comentários:

Publicar um comentário