terça-feira, 16 de agosto de 2011

POEMA DA ESPERA


POEMA DA ESPERA

A vida é somente espera;
disso tenho consciência.
Minha alma não desespera,
sou feita de paciência.

Esperei crescer um dia,
esperei filhos nascerem,
esperei numa agonia
a hora dos pais morreram.

Nestas esperas, que dores!
Às vezes perdi o norte…
Depois de tais dissabores
fico à espera da morte!

Tudo que esperei da vida
foi por demais e o perdi…
Mas sinto-me agradecida
pelo muito que recebi!

Espero a lua brilhante,
espero a noite calada;
assim, me deito esperando
a hora do zero, o nada!

E no tempo pressentindo
com os olhos feitos vitrais,
a pena que irei sentido
por não esperar jamais!
Sempre esperar…esperar…
esta é a saga do mundo!
Depois de tanto ansiar
cair num sono profundo! 

Maria de Lourdes Martins
in Castelo de Legos

Sem comentários:

Publicar um comentário