quarta-feira, 2 de novembro de 2011

ALÇA-TE !

ALÇA-TE !

Algum povo que é povo
Atravessa esta crise dos poderosos
Como se estivesse num grupo excursionista?

Algum Povo que é Povo
sem a lágrima ao canto do olho
atravessa esta crise de quem manda
e prepara uma nova fome para si e para os seus
na astúcia de fingir que dorme?

Algum Povo que é Povo
Deixa passar um ano cheio de dias
Para dizer o que quer e o que pode
Sabendo que se faz tarde em agonias

Algum Povo que é Povo pode ficar estático, parado
Intuindo uma espécie de fim, funeral sem flores e privado
À espera de um não, depois de um sim?

Alça-te Povo aos tempos do novo Abril
Alça-te aos gritos do grande ao mais pequeno
e não fiques agora a meio do caminho
põe-te em pá, descobre a nova era
e nem te aconselhes com o teu vizinho!
                                                  Fernando Morais

Sem comentários:

Publicar um comentário