quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

CANÇÃO

Álvaro Marques
CANÇÃO

Não é só pranto uma canção assim,
a fantasia a cobre de outros ais,
nem sei se chora a dor (e ai de mim)
que a sinto embriagada por demais

em lautas cavalgadas noite afora
no dorso da volúpia sibilina,
e cujo barco à vela não tem hora
mesmo quando navega à bolina

Não é de pranto ou fado ou desamor
o que paira nos ares, tal o vibrato
que surde com as ondas de calor
e aguça os sentidos pelo facto

de expandir os sons inebriantes
que celebram os corpos dos amantes.

Domingos da Mota
in Bolsa de Valores e Outros Poemas

Sem comentários:

Publicar um comentário