quinta-feira, 27 de outubro de 2011

OH TU, INTUITIVO SER!


OH TU, INTUITIVO SER!

Oh Tu!
Sim! Oh Tu!
Que intuitivo ser és,
Mesmo que disso,
Nem conta te dês,
Nem mesmo repares,
O quanto idealista és,
E o quanto desligado és.
Quanto, à sensibilidade,
Essa, sim, eu sei,
Teu mote é,
Teus dias guia,
Tal como um farol,
Que ilumina e guia,
Sim, eu sei!

Oh Tu!
Sim! Oh Tu!
Que intuitivo ser és,
Mesmo que pouco prático sejas,
Tantas e originais ideias,
Como bem, em ti proliferam,
Como mudanças no conceito global, geram,
Mesmo, quando com intangíveis assuntos, lidam,
Mesmo, quando afamados «clics»,
Os tais de difícil explicação,
Da tua alma se apoderam,
Devagar, devagarinho.
E, então,
Imaginação, asas ganhas,
Experimentalidade, aquela que tu adoras,
Desenvolves,
Tal e qual o teu original pensamento!
Afinal,
Um bom motivacional desafio,
Adoras lidar, fermentar, desenvolver,
Possibilidades,
Tu veneras!
Sim, eu sei!

Oh Tu!
Sim! Oh Tu!
Que intuitivo ser és,
Mesmo que não saibas,
A energia universal,
Aquela que em ti circula,
Está lá!
Sempre lá!
Mesmo que a abafes,
Mesmo que a cales.
Inteligente,
Forma de se manifestar,
Sempre, arranja!
Desenvolvida está!
Teu berço é!
Pensamento rápido demais,
Pular de assunto em assunto,
Uma constante se torna,
Conexões,
Velozmente,
Também, tu vês,
Fórmulas complexas,
Também, tu fazes e desenvolves.
Sim, eu sei!

Oh Tu!
Sim! Oh Tu!
Que intuitivo ser és,
Bastas, são as vezes,
Que em desvantagem,
Numa conversa,
Em negócios,
Tu ficas,
Dificuldade, no expressar tuas ideias,
Tu tens, sim, eu sei!
O medo bloqueia,
As dúvidas entorpecem o pensamento,
A rejeição dói,
E mais uma vez,
Tu sabes,
Que nem todas as pessoas
Paciência, para lidar contigo têm,
Não obstante, eu te digo,
Que, lindo, lindo ser, tu és,
Benquerença, em todos os teus poros está,
E é com assentimento,
Com verdade,
Que sinceramente te digo,
A uma só voz,
Aquela directamente da alma vinda,
Que em doçura EU TE AMO!

Cristina Maya Caetano

Sem comentários:

Publicar um comentário