quarta-feira, 20 de julho de 2011

A BOCA E OS OUVIDOS

A BOCA E OS OUVIDOS

As palavras depõem
contra o coração,
que não quer dizer nada
nem ouvir nada.

As suas mãos alheias
tocam balbuciando
o meu coração.
Como se lhes negará o meu coração?

A baba do sentido
devassa a minha boca
com sórdidos ouvidos.
Como me calarei? Sem que palavras?

Oh, apenas um instante de silêncio,
uma palavra de
harmonia e solidão,
de morte e de indistinção!

            Manuel António Pina
            in “ Nenhuma Palavra e Nenhuma Lembrança”
            Lido por Irene Lamolinairie

Sem comentários:

Publicar um comentário