quarta-feira, 27 de julho de 2011

No totem do tempo


No totem do tempo
persiste a ruptura
e as lágrimas soltas
à tona dos olhos.
Persiste a palavra
já calcificada
nos ossos dos lábios
O sonho perdido
no resto do sono
de uma noite que è
ainda criança.
No totem do tempo
assaz escultura
ruge a verdade
bem incrustada
e contemplativa
na imensa textura
que se chama, vida .

Kim Berlusa

Sem comentários:

Publicar um comentário