sábado, 25 de junho de 2011


A contemporaneidade
da arte do Kung – Fu
e a excentricidade
única do fato
do Fu – Man – CHU.

A capacidade
mediúnica
de um feiticeiro
voodoo
e a conhecida
peleja, travada
em warteloo.

A diabólica arquitectura
da casa de Belzebu,
e o paladar agridoce
do ópio de Katmandu.

Isto sem contar
com a piedosa frieza
de não vestir um
deus nu!
Kim Berlusa

Sem comentários:

Publicar um comentário