sexta-feira, 3 de junho de 2011


Pinto poemas, abstracto surreais
repletos de cores supremas
e extra-sensoriais.

Faço quadros e apenas
uso palavras serenas
perpétuas e ancestrais.

E essa mescla de sentimentos
que subtilmente se misturam
abandonam-se a momentos
que no futuro perduram.

Pois quando pinto poemas
e faço até alguns quadros
alio metafóricos dilemas
a desejos consumados.

Kim Berlusa

Sem comentários:

Publicar um comentário